Basquete verde, branco e preto: relembre os negros que fizeram história no alviverde

O momento é de intolerãncia, tristeza, mas, principalmente, reflexão. Seja no Brasil ou nos EUA, o racismo vem se tornando cada vez mais presente, nocivo e repugnante. Falar de basquete do alvievrde sem lembrar e exaltar figuras negras é desconhecer a história da modalidade e do Palmeiras. Pensando nisso, o Basquete Palestrino selecionou alguns atletas negros que deixaram legado no clube e abriram espaço para outros nomes se destacarem.

Walter de Souza:

Ala extremamente técnico e atlético, o ”T”, como era chamado, foi um dos primeiros jogadores negros a atuar no Verdão. Apesar de não ser titular, era considerado um reserva de luxo na equipe de Mosquito, Jatyhr que ficou marcada na história pelo título do Estadual de 1958 após longos 23 anos de jejum.

Walter, o primeiro jogador de cima para baixo e da esquerda para a direita

Rosa Branca:

Carmo de Sousa, conhecido no basquetebol brasileiro como Rosa Branca devido à semelhança com um motorista de Getúlio Vargas, foi um dos maiores nomes do basquete nacional e, sobretudo, do alviverde imponente. Natural de Araraquara, interior de São Paulo, Rosa chegou ao Palestra no de 1958, porém não fez parte do elenco campeão Paulista e começou a atuar no Palmeiras apenas no ano seguinte. Ao lado de figuras icônicas do basquete, por exemplo, Mosquito, Laerte Gomes e Jatyr Schall, o ala extremamente técnico foi campeão e protagonista nos títulos do Paulista de 1961 e 1963. A nível de seleção brasileiro, foi bicampeão mundial pela Seleção Brasileira (1959 e 1963), bronze nos Jogos Olímpicos de Roma (1960), bronze no Pan de Chicago (1959) e prata no Pan de São Paulo (1963).

Rosa Branca em atuação pelo alviverde (Foto: Palmeiras/Divulgação)

Edson Bispo:

Conhecido por um gancho extremamente certeiro, Edson é, indiscultivelmente, um dos melhores pivôs brasileiros de todos os tempos. Jogando pelo Brasil, conquistou duas medalhas de bronze em olímpiadas: Roma, em 1960, e em Tóquio, no ano de 1964. Por sua vez, no alviverde Edson Bispo atuou como jogador na década de 60 e depois comandou a equipe adulta de basquete do Verdão no final dos anos 60 e início dos 70.

Edson Bispo, como técnico da equipe infantil de 1967

Curtis Mccarthy: Se Walter de Souza foi um dos primeiros negros a atuaram pelo nossa basquete, Curtis foi o primeiro negro americano a jogar no Palestra Itália e fez sucesso rapidamente. Ala extremamente atlético, Curtis particpou da equipe que, para muitos, foi a mais forte da história do basquete da Sociedade Esportiva Palmeiras. Ao lado de Carioquinha, Zé Geraldo e dos hermanos Gehrmann e Gonzalez, Curtis foi campeão Estadual com o alviverde em 1972.

Curtis no “Dream Team” de 1972

Patterson: Ala extremamente dominante e versátil, Patterson jogou no Palestra durante a década de 90. Apesar de não ter conquistado títulos expressivos, é considerado, por muitos, um dos norte-americanos mais notáveis da bola laranja no Brasil. Pelo alviverde, jogou ao lado de nomes como Cadum, Marcel, Jubinha, Farofa, Pipoka e foi comandado por José Edvar Simões e Aluísio Xavier Ferreira, o Lula Ferreira. A título de curiosidade, foi o segundo cestinha do Campeonato Brasileiro de 1998, ficando atrás somente do ex palestrino Oscar Schmidt. Em 25 jogos, o ala anotou 749 pontos (média de 29, 9).

Tyrone Dennel Curnell:

Jogador extremamente simbólico para a torcida alviverde, Tyrone, torcedor do Palestra, foi um dos grandes nomes do Verdão no NBB. Atuou pelo clube na competição nas temporadas de 2012/2013 e 2013/2014. Ao todo, disputou 51 jogos e teve médias superiores a 11 pontos nesses dois anos .

Foto: Fabio Menotti/Palmeiras

Esses nomes citados são apenas alguns exemplos de negros ídolos e gigantes que abriram espaço para outros jogadores fazerem história no clube. Se hoje ou recentemente temos e tivemos atletas negros em nossa base jogando e se destacando é pelo nosso passado gigante, democrático e inclusivo.

A lista de referências negras na bola laranja é grande, muitos outros atletas dsempenharam papeis importantes no alviverde e merecem menções. São eles: Leandrinho, Pipoka, Cipriano, Caleb Brown, Michel Nascimento (adulto e base) Yago, Brunão, Joãozinho (base), ente outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s